20.2. 2017

Casas na astrologia

Mesmo que a mais valia proporcionada pelas casas astrológicas para o horóscopo seja discutível, todos os astrólogos acabam por as usar. Alguns sistemas de casas foram criados durante o desenvolvimento da astrologia - Placidus, Koch e Regiomontanus ou um sistema de casas solares, alguns deles continuam a ser usados. Embora estes sistemas tenham várias diferenças, mais do que grandes diferenças, eles acabam por estar de acordo no essencial. O número de casas é sempre doze e a casa inicial (a primeira) é sempre o Ascendente - ele fica no leste do horóscopo. Assim, o horóscopo é dividido pelas casas em doze partes. Cada casa simboliza uma parte específica da vida das pessoas. A que tem mais planetas é mais importante do que a que não tem nenhum.

Casas na astrologia

Aqui tem uma visão geral das casas, um dos sistemas mais utilizados é o Regiomontanus:

A primeira casa – a inicial, que adopta o signo do seu Ascendente. Ela simboliza o nosso carácter físico, que nos diferencia das outras pessoas nascidas no mesmo dia (uma vez que nasceram num tempo diferente). Ela influencia a nossa identidade, a forma como agimos e como os outros nos veem, e também a nossa aparência.

A segunda casa – genericamente simboliza os valores materiais. O modo como vemos a nossa propriedade pessoal e a segurança ou bem-estar. Também afeta os nossos gastos e o que pensamos sobre nós próprios e sobre os outros. A sua influência pode ser notada na nossa relação com a natureza ou na forma como estabelecemos relacionamentos.

A terceira casa – é um símbolo da educação e da comunicação. Está ligada com as nossas capacidades espirituais, de pensamento e de criar relacionamentos com os outros. Afeta a nossa vontade de viajar, ou as viagens em geral (por exemplo, viagens de conhecimento). Graças a esta casa, a pessoas tem um senso de aventura e relaciona-se bem com os outros na sociedade.

A quarta casa - representa a nosso lar ou as nossas raízes. É simplesmente um lugar onde nos sentimos seguros e podemos agir livremente. Não tem que necessariamente simbolizar uma casa ou um edifício, também pode simbolizar um homem, pelo qual temos estes sentimentos, com quem nos sentimos bem. Está relacionada com a propriedade ou também com os pais.

A quinta casa – simboliza a capacidade de expressão e criatividade. Representa o impulso para imortalizar a nossa existência e deixar algo para trás. Aqui estão também os hobbies, as atividades artísticas e as crianças. Afeta a auto percepção e o esforço para se diferenciar dos outros.

A sexta casa – símbolo do trabalho, dos deveres e da nossa saúde. Ela influencia nossas relações com os outros, particularmente quando se trata de subordinação. Está relacionada com atividades praticadas diariamente, com as relações no local de trabalho. Também afeta a nossa atitude em relação à saúde e a capacidade de cuidar dela.

A sétima casa - ou a casa do descendente, simboliza os relacionamentos pessoais e íntimos. Representa as pessoas que estão muito próximos de nós e o tipo de relacionamento que temos com elas. Está relacionada com a nossa consciência social e com a nossa capacidade de nos ajustarmos. Assim, o signo nesta casa representa um parceiro ideal, por quem nos sentimos atraídos.

A oitava casa – simboliza a satisfação de todas as nossas necessidades. Afeta fortemente a nossa mentalidade. Os familiares e a propriedade (e sua criação) são cruciais para esta casa. Está muitas vezes relacionada com o ocultismo, a magia e a fantasia.

A nona casa – um símbolo das viagens, da educação e da filosofia de vida. Refere-se a um desejo de melhorar continuamente. É a área das metas a longo prazo, dos planos e do futuro em geral. A religião, a igreja e a lei também estão aqui representados. Pode mostrar o carinho pela aventura e a natureza social.

A décima casa – um símbolo da nossa carreira, prestigio e reputação. Representa o desejo de obter uma nova identidade na sociedade e tornar-se numa autoridade reconhecida. Está também relacionada com o trabalho, a posição na hierarquia e com a nossa reputação. Afeta as questões nacionais e outras matérias de grande alcance.

A décima primeira casa - um símbolo da amizade, da sociedade e dos ideais. Refere-se à nossa capacidade de integração, mas também aos nossos desejos, metas e esperanças. As pessoas que conhecemos ao longo da vida, que nos ajudam ou que influenciam a nossa vida, estão também nesta casa.

A décima segunda casa – simboliza o subconsciente, as emoções e os segredos. É uma área de problemas e restrições. Além disso, afeta os problemas emocionais, as inverdades e as dificuldades que temos de superar. Permite-nos ver o mundo em perspectiva. Afasta-nos da nossa vida cotidiana e apoia as nossas fantasias.

 

Escreva-nosFacebook